Uma homenagem da Conjuntura Econômica ao inesquecível Regis Bonelli

23/01/2018

Conheci mais a fundo Regis Bonelli quando me tornei colaborador permanente do Ibre a partir de 2013. Me encantei imediatamente com a figura alegre, elegante e brincalhona daquele jovem de espírito com cabelos grisalhos. Nos quatro anos e meio em que convivemos no Ibre, testemunhei as excepcionais qualidades de Regis, um agregador que tinha a arte de trazer leveza e graça ao ambiente de trabalho. Por outro lado, nos seus campos de especialização, como a crucial questão da produtividade, Regis era profundo, detalhista e rigoroso, um exemplo de pesquisador consequente, que não chegava a conclusões sem uma sólida base lógica, e com fundamentação nos números e nos fatos.

Regis nos deixou de forma muito rápida, talvez como se quisesse fixar para sempre a imagem animada, doce, amistosa e profissionalmente profícua que dele guardamos.

Na edição de janeiro/18 da Conjuntura Econômica, importantes parceiros na sua longa carreira – incluindo algumas amizades com décadas de duração, como Pedro Malan e Edmar Bacha – dão os seus testemunhos sobre as excepcionais qualidades profissionais e humanas de Regis Bonelli. Abaixo estão os links para a introdução dessa seção de homenagem a Regis, realizada pela jornalista Solange Monteiro, e para cada um dos depoimentos, na versão digital da Conjuntura Econômica:

 

Introdução, por Solange Monteiro

Pedro Malan

Edmar Bacha

Armando Castelar

Claudio Conceição

Roberto Castello Branco

Fernando Veloso

José Julio Senna (com biografia resumida de Regis Bonelli)

Deixar Comentário