Monitor do PIB FGV IBRE: análise especial das atividades de saúde pública e privada

22/06/2020

A chegada da pandemia de COVID-19 no Brasil, com a adoção das recomendações de isolamento social, tem impactos diretos e indiretos na economia, afetando, praticamente, todas as atividades econômicas. Nesta seção especial que estará disponível no Monitor do PIB-FGV durante todo o ano de 2020, busca-se compreender como duas das principais atividades econômicas diretamente afetadas pela COVID-19 (saúde pública e privada) serão impactadas pelo avanço da pandemia no país. Em conjunto essas duas atividades representavam, de acordo com o IBGE, 4,3% do PIB em 2017, sendo a saúde pública responsável por 2,0% e a saúde privada pelos outros 2,3%.

A saúde pública compõe, com participação de 13% (em 2017, de acordo com as TRUs1), a atividade de Administração Pública na desagregação do PIB em 12 atividades, nas Contas Nacionais Trimestrais do IBGE. Em abril, a atividade de saúde pública caiu 22,0%, na comparação interanual, tendo contribuído negativamente (-2,9 p.p.) para a retração de 1,2% registrado na atividade de Administração pública. Os gráficos 11 e 12 mostram a evolução recente da atividade e a contribuição da saúde pública para a atividade de Administração Pública.

Apesar de ter pouca representatividade, em termos de ponderação, a atividade de saúde pública teve grande impacto na retração da Administração Pública devido a expressiva queda no mês.

A saúde privada compõe, na desagregação do PIB em 12 atividades, nas Contas Nacionais Trimestrais do IBGE, a atividade de Outros Serviços, com 15,1% (em 2017, de acordo com as TRUs) de representatividade nesta atividade. Em abril, a atividade de saúde privada retraiu 13,3%, na comparação interanual, tendo contribuído negativamente (-1,0 p.p.) para a retração da atividade de Outros Serviços. Os Gráficos 13 e 14 no press release mostram a evolução recente da atividade e a contribuição para a atividade de Outros Serviços.

Embora a saúde privada tenha contribuído para a retração de Outros serviços, a forte retração de 22,1% é explicada, principalmente, pelos demais componentes dessa atividade.

Essas quedas de produção da atividade de saúde, tanto pública como privada, estão, provavelmente, associadas ao adiamento de consultas e exames devido ao isolamento social.

É importante destacar que as estimativas realizadas para a saúde pública e privada no Monitor do PIB-FGV não abrangem toda a composição da Conta Satélite de Saúde do Brasil, divulgada pelo IBGE. Além das atividades de saúde pública e privada, a Conta Satélite abrange outras atividades, tais como fabricação de produtos farmacêuticos, comércio de produtos farmacêuticos entre outras atividades relacionadas a saúde.

Outro ponto importante de destacar é que essas estimativas são calculadas com base nos dados disponibilizados no DataSUS, e essas informações, por serem constantemente atualizadas, podem sofrer grandes alterações entre as divulgações.

Acesse o press release completo com o resultado do Monitor do PIB de abril de 2020 no Portal IBRE

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do autor, não refletindo necessariamente a opinião institucional da FGV. 

Deixar Comentário

Veja também