Recessão longa e dolorosa. Será que estamos saindo dela?

29/03/2017

A divulgação do PIB do último trimestre de 2016, no dia 7 de março de 2017, confirmou as previsões do IBRE que a atual recessão é uma das mais severas de nossa história, de acordo com o Comitê de Datação de Ciclos (CODACE).

Desde 1980 o Brasil passou por três recessões longas (entre nove e 11 trimestres de duração em média), com contração do PIB entre 8% e 9%. Na atual recessão, a perda de PIB será da ordem de 9%, segundo estimativas do IBRE. Se isso se confirmar, a perda será superior às das duas recessões longas dos anos 80 e início dos anos 90 (8,5% em 1981T1-1983T1 e 7,7% em 1989T3-1992T1).

Gráfico 1: Recessões Brasileiras (o período (t – 1) é o trimestre imediatamente anterior ao começo da recessão, nível = 100)

Fonte: CODACE, IBGE e IBRE. Elaboração IBRE/FGV

Em termos de PIB per capita, a contração esperada para o triênio de 2014-2016 será de 9,1%, uma das maiores quedas da nossa história. Por enquanto, inferior apenas à do período 1981-1983, quando a queda do PIB per capita foi de 12,4%!

Apesar da péssima notícia, tudo indica que estamos finalmente saindo da recessão. Nossas estimativas indicam um crescimento positivo neste primeiro trimestre de 0,3% em relação ao último tri do ano passado. E se tudo correr de acordo com os nossos números, haverá crescimento em todos os trimestres deste ano. Não será nada brilhante, mas positivo.

Agora esperamos que no dia 1 de junho, dia da divulgação do PIB do primeiro trimestre de 2017, que esta previsão se confirme, e assim podemos declarar com convicção que a recessão demorou, mas finalmente acabou.

Deixar Comentário

Veja também