Boletim Macro: Cenário econômico muito incerto

20/07/2018

Desde a última divulgação do Boletim Macro, acumularam-se notícias pouco animadoras nos fronts internacional e doméstico. Pelo lado externo, houve intensificação dos conflitos comerciais entre EUA e China. Essa disputa pode desencadear uma guerra comercial generalizada, ainda que o cenário mais provável continue sendo a ocorrência de um acordo negociado entre os dois países, pois o agravamento dos conflitos seria ruim para ambos os lados.

Porém, pelo menos até as eleições legislativas norte-americanas de novembro próximo, a retórica política do presidente Trump não deve mudar, o que permanecerá gerando turbulência nos mercados financeiros globais. A China, como destacado na seção Internacional, está em processo de gradual desaceleração, com aumento da participação relativa de consumo/serviços, em detrimento de indústria/investimentos, e a digestão de desequilíbrios previamente acumulados no setor financeiro. No cenário de possível guerra comercial, o governo chinês tem atuado afrouxando a política monetária e fiscal.

O destaque é que os juros referenciais chineses não estão mais acompanhando as elevações das taxas básicas americanas, levando a uma relevante diminuição do diferencial de juros entre as duas economias e ajudando a enfraquecer o renminbi. E, por fim, na zona do euro o quadro político continua marcado por incertezas. Além disso, a região pode sofrer com as tarifas de importação que os EUA pretendem impor para produtos exportados pela União Europeia, em especial automóveis. Porém, sem riscos inflacionários visíveis, a política monetária da zona do euro deve permanecer acomodatícia por um bom tempo, o que ajuda a evitar maior desaceleração na região.

Em suma, para além da piora do nosso cenário de referência, o balanço de riscos ainda segue negativo. Leia o Boletim Macro de julho no Portal IBRE.

Comentários

augusto ferreira
Onde posso encontrar a íntegra de seu estudo publicado hoje em "o Globo"?

Deixar Comentário

Veja também