Tiago Martins

Por que a taxa de desemprego no Brasil não disparou mesmo com a pandemia do coronavírus? Uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua

Os eventos dos últimos meses associados à pandemia do coronavírus, elevou de forma extraordinária o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.

Pandemia do coronavírus fragiliza o mercado de trabalho brasileiro

Recentemente, publicamos neste mesmo espaço, um texto falando dos severos impactos da pandemia do coronavírus no mercado de trabalho brasileiro que tem elevado de forma extraordinária a incerteza na economia, gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.[1] Faremos neste texto uma atualização destes impactos tomando como referência a recente divulgação dos dados da Pnad Contínua, por parte do IBGE, que agregada os principais indicadores de mercado de trabalho

Queda do emprego no Brasil: uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua

Diante da escalada de eventos nos últimos meses associados à pandemia do coronavírus, o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia brasileira tem se elevado de forma extraordinária e irá gerar grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho. Desse modo, faz-se necessário, mais do que nunca, a análise de pesquisas de alta frequência, de modo a ter estimativas mais precisas do impacto da crise ao longo dos últimos meses.

Mensalizando a PNADC: os impactos da pandemia sobre o mercado de trabalho

O IBGE, desde 2012, realizou um esforço de consolidação de suas pesquisas amostrais de mercado de trabalho, que se dividiam entre a Pesquisa Mensal do Emprego (PME), de frequência mensal, mas cobrindo apenas seis Regiões Metropolitanas, e a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que cobria todo país, mas com frequência anual. O resultado desse esforço foi a PNAD Contínua, que tem abrangência nacional e periodicidade trimestral.

O prêmio do rendimento no setor formal

Na seção Em Foco deste mês, comparamos os rendimentos dos trabalhadores formais e informais de diferentes grupos de renda para estimar o prêmio salarial associado ao trabalho formal. Também avaliamos como esse prêmio mudou antes e depois da crise de 2014. Para isso, utilizamos os microdados da PNAD Contínua entre o segundo trimestre de 2019 e o primeiro trimestre de 2014.[1] 

Nowcasting e o acompanhamento da atividade econômica em tempo real

O PIB é uma das variáveis mais importantes para as decisões de políticas monetárias e investimentos, porém demora cerca de 60 dias para ser divulgado a partir da data de fechamento do trimestre. De modo geral, muitas variáveis não estão disponíveis em tempo real para auxiliar os agentes econômicos em suas decisões. Por isso, sabe-se que existe uma demanda para previsões de variáveis para o mês e trimestre correntes e seguintes.

Subscrever RSS - Tiago Martins