Solange Monteiro

Entrevista: cientista político Carlos Pereira para Revista Conjuntura Econômica

Para o cientista político Carlos Pereira, o candidato vencedor das eleições presidenciais de 2018 será aquele que melhor encorpar três ideias-força: proteção, responsabilidade e limpeza: "Candidato vencedor em 2018 será aquele que melhor encorpar essas ideias-força: proteção, responsabilidade e limpeza". Leia parte da entrevista disponível na edição de junho da Revista Conjuntura Econômica.

Por Solange Monteiro

Entrevista: Pablo Guidotti, ex-secretário da Fazenda da Argentina, para Conjuntura Econômica

Em entrevista a Conjuntura Econômica, Pablo Guidotti, ex-secretário da Fazenda da Argentina, analisa a situação fiscal do país. Para Guidotti, a negociação do governo argentino com o FMI será a ocasião perfeita para o presidente Macri romper resistências políticas e reduzir o gradualismo do ajuste fiscal. 

Por Solange Monteiro

Entrevista: Marcos Nobre, pesquisador do Cebrap, para Revista Conjuntura Econômica

A incerteza do panorama eleitoral para 2018 é um fator preocupante que, na visão do cientista político Marcos Nobre, Professor de Filosofia Política da Unicamp, pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), não terminará com ganhos para os que esperavam um processo de renovação política: "A eleição de 2018 não é para a sociedade se reconectar com o sistema político, mas para o sistema político sobreviver, da maneira que ele puder", diz. Leia parte da entrevista disponível na edição de maio da Revista Conjuntura Econômica.

Entrevista: Joisa Dutra, diretora do FGV Ceri, para Conjuntura Econômica

Apesar de necessária, a reforma do setor elétrico poderá penalizar o consumidor ao focar na garantia de capacidade em detrimento do processo de formação de preços, diz Joisa Dutra, diretora do Centro de Regulação em Infraestrutura (FGV Ceri). Veja trechos da entrevista da Revista Conjuntura Econômica de abril:

Leia a entrevista de Fernando Veloso para a revista Conjuntura Econômica de março

Desde a década de 1980, a produtividade brasileira tem crescido pouco, e as reformas que surgiram para reverter esse cenário têm sido sufocadas pela quantidade de velhas e novas barreiras que distorcem o ambiente de negócios no país. Fernando Veloso, pesquisador da FGV IBRE especialista no tema, defende a necessidade de se abrir caminho para que a alocação de recursos de empresas menos produtivas para as mais produtivas aconteça no Brasil.

Fôlego cearense

A saída da recessão econômica deverá chegar com mais vigor no Ceará. A queda da taxa de juros real, que permite barateamento do crédito e retomada do consumo, e as operações da Companhia Siderúrgica de Pecém (CSP), que concluirá seu primeiro ano completo de atividades, são os principais vetores que levam o Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), vinculado ao governo do estado, a estimar um crescimento em torno de 1,2% para o PIB do estado em 2017, 0,4 ponto percentual acima do PIB brasileiro projetado pela FGV IBRE no Boletim Macro de outubro.

Programa de concessões municipais e o saneamento

A decisão do governo de colocar o saneamento entre as prioridades da infraestrutura ganhou um novo impulso nesta quarta-feira (12) com o lançamento do Programa de Apoio às Concessões Municipais, que prevê R$ 11,7 bilhões em linhas de crédito e programas de incentivos, dos quais R$ 2 bilhões serão dedicados a iniciativas relacionadas a água, esgoto e manejo de resíduos sólidos.

Subscrever RSS - Solange Monteiro