Claudio Considera

Doutor em Economia (UFF), mestre em Economia (UnB), pós-graduado em Análise Econômica (CENDEC/IPEA) e graduado em Economia (UFF). Foi chefe das Contas Nacionais do IBGE (1986-1992), Diretor do IPEA (1992-1998) e Secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda (1999-2002). Atualmente coordena o Núcleo de Contas Nacionais (NCN) da FGV IBRE, sendo um dos autores do Monitor do PIB-FGV e do IAE-FGV.

Para que serve? Serve para nada!

Um dos temas que vêm sendo discutidos fortemente nos fóruns internacionais dos produtores e divulgadores de dados estatísticos é sua disseminação. É um desafio fazer com que a narrativa de uma divulgação de uma estatística permita que o número divulgado seja compreendido de forma ampla e com clareza. E não apenas por especialistas embebidos nas tecnalidades incompreensíveis para os demais, mas por todos os interessados. Um número divulgado de forma incorreta tem enorme poder de gerar mais confusão do que esclarecer algo.

O maior hiato de todos os tempos

O hiato do produto alcançou o recorde de -14,1% no segundo trimestre deste ano, conforme pode ser observado no Gráfico 1 abaixo. Esse número foi estimado a partir das estimativas mensais do Monitor do PIB-FGV e de informações de previsão para séries do período ainda não publicadas. Como resultado, esse exercício estimou, para o segundo trimestre, uma queda de 9,4%[1] na comparação com o trimestre imediatamente anterior e de 11,2% na comparação interanual.

O hiato do produto 1980-2020: ampliando a análise

Este é mais um Relatório de divulgação do Hiato do Produto calculado pela Superintendência de Estatísticas Públicas do FGV IBRE que tem sido usualmente disponibilizado trimestralmente neste blog do IBRE. Nessa edição o cálculo do hiato pela função de produção foi ampliado para abranger os setores Industrial e de Serviços, além de possibilitar o cálculo da Produtividade Total de Fatores (PTF) destas atividades.

Hiato do produto do PIB, da Indústria, e dos Serviços (1980-2019)

  1. INTRODUÇÃO

O estudo acerca do produto potencial vem ganhando espaço entre as discussões dos economistas. Em momentos de crise e estresse econômico, como o da atual conjuntura mundial, estudos sobre o tema se tornam ainda mais importantes, tendo em vista a utilidade do indicador para a formulação e a condução de políticas econômicas.

O hiato do produto

Uma preocupação recorrente entre os economistas é entender se há alguma pressão de demanda que pode vir a provocar alterações na política monetária. O cálculo do hiato do produto busca contribuir para essa discussão, já que variações do hiato indicam se há ou não pressão inflacionária. Sendo uma variável não observável, a tarefa dos economistas é estimar o produto potencial (aquele que é possível utilizando-se toda a capacidade produtiva) e calcular o hiato, que é definido pela diferença entre o produto potencial e o produto efetivo.

Páginas

Subscrever RSS - Claudio Considera