Gilberto Borça Jr.

Economista da Área de Planejamento e Pesquisa Econômica (APP) do BNDES.

Análise de longo prazo do BNDES no mercado de crédito bancário (2000-2021)

O BNDES, nos últimos anos, passou por um processo de redimensionamento de sua atuação, reduzindo a níveis historicamente baixos, tanto a sua participação no crédito, quanto seu fluxo de desembolsos frente ao PIB. Uma reversão à média histórica seria importante para a retomada da economia.

Explorando a medida de impulso do crédito no Brasil: PFs e PJs (parte 4)

Essa é a 4ª e última parte da sequência de análises da medida preliminar de impulso do crédito no Brasil. Nesse trabalho destacamos sua decomposição por segmentos demandantes – pessoas físicas (PFs) e pessoas jurídicas (PJs) –, bem como destacamos suas principais modalidades.

Essa é quarta parte da análise exploratória que vem sendo desenvolvida da medida preliminar de impulso do crédito para economia brasileira.

Explorando a medida de impulso do crédito no Brasil: bancos públicos e privados (parte 2)

A segunda parte do trabalho decompõe a medida de impulso do crédito a partir da contribuição de bancos públicos e bancos privados. O fim da atuação compensatória entre eles de 2002 a 2012 torna os movimentos de impulso do crédito mais acentuados no período entre 2013 e 2021.

Pagamento líquido de juros em abril/21 foi o mais baixo da série histórica desde 2002

Em abril/21, o pagamento líquido de juros do governo atingiu valores negativos. Esse resultado teve influência direta dos resultados dos swaps cambiais em função da apreciação da taxa de câmbio. Reduz-se o déficit nominal, mas aumenta-se a dívida líquida do setor público.

Páginas

Subscrever Gilberto Borça Jr.