Fernando Veloso

PhD em Economia pela University of Chicago. Pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getulio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro e professor da Escola de Pós-Graduação em Economia (EPGE) da FGV/RJ. Pesquisador associado do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da FGV/RJ. Autor de diversos artigos publicados em revistas acadêmicas nacionais e internacionais nas áreas de crescimento e desenvolvimento econômico, educação e políticas públicas. Foi coorganizador dos livros “Causas e Consequências da Informalidade no Brasil” e “Anatomia da Produtividade no Brasil. É colunista do Broadcast.

A pandemia e seus efeitos na produtividade mundial em 2020

Como tenho discutido neste espaço, a pandemia da Covid-19 teve um impacto profundo sobre os indicadores de produtividade. A análise de seu comportamento em 2020 é de grande importância para entendermos como será a retomada do crescimento no pós-pandemia no Brasil e no mundo, assim como suas repercussões no mercado de trabalho e na taxa de inflação.

O imbróglio do Orçamento

Até o presente momento continua sem solução o imbróglio do orçamento. A confusão se arrasta desde sua aprovação no Congresso e provavelmente vai perdurar até o dia 22 de abril, data limite para a sanção.

Esse episódio representa a culminação de um processo caótico que paralisou a agenda fiscal no segundo semestre de 2020, quando não foi votada a Lei Orçamentária para 2021 e não houve qualquer discussão sobre a PEC Emergencial.

PTF cresce em 2020, mas incerteza em relação ao comportamento dos indicadores permanece elevada

Os eventos associados à pandemia da Covid-19 tiveram impactos negativos sobre a atividade econômica e o mercado de trabalho e elevaram de forma extraordinária o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia e quanto à dinâmica dos indicadores de produtividade, especialmente no Brasil.

Produtividade do trabalho cresce em 2020, mas incerteza em relação ao comportamento dos indicadores permanece elevada

Os eventos associados à pandemia da Covid-19 tiveram impactos negativos sobre a atividade econômica e o mercado de trabalho e elevaram de forma extraordinária o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia e quanto à dinâmica dos indicadores de produtividade, especialmente no Brasil.

O cenário econômico se agrava

Os resultados do PIB em 2020 divulgados pelo IBGE vieram em linha com a estimativas de vários analistas. Em particular, a queda de 4,1% foi próxima da projeção do IBRE/FGV, de redução de 4,3%. O desempenho dos grandes setores também correspondeu às projeções, com desempenho igual ao previsto na agropecuária (aumento de 2,0%) e indústria (queda de 3,5%), e redução menor dos serviços (-4,5%) em relação à estimativa do IBRE (-4,7%).

Páginas

Subscrever RSS - Fernando Veloso