Fernando Veloso

PhD em Economia pela University of Chicago. Pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getulio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro e professor da Escola de Pós-Graduação em Economia (EPGE) da FGV/RJ. Pesquisador associado do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da FGV/RJ. Autor de diversos artigos publicados em revistas acadêmicas nacionais e internacionais nas áreas de crescimento e desenvolvimento econômico, educação e políticas públicas. Foi coorganizador dos livros “Causas e Consequências da Informalidade no Brasil” e “Anatomia da Produtividade no Brasil. É colunista do Broadcast.

Sinais de reversão do aumento da produtividade

Os dados do Observatório da Produtividade sugerem que o salto de produtividade que ocorreu ano passado no Brasil foi em grande medida temporário e será revertido com a recuperação dos setores mais afetados e a retomada do emprego informal e de escolaridade mais baixa.  

Na última coluna discuti minha avaliação do cenário econômico pós-pandemia, que tem sido essencialmente a mesma desde que abordei o tema pela primeira vez, em maio do ano passado.

Com queda na margem, produtividade do trabalho começa a se aproximar da trajetória anterior à pandemia

A recuperação do mercado de trabalho tem ocorrido por meio de ocupações informais e pela volta dos trabalhadores menos escolarizados. Isto contribui para que ocorra uma volta ao padrão de baixo crescimento da produtividade observado no período anterior à pandemia. 

Páginas

Subscrever RSS - Fernando Veloso