Luiz Guilherme Schymura

Doutor em Economia pela EPGE da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ex-presidente da Anatel, hoje é o diretor do FGV IBRE.

Melhora fiscal é de curto prazo, e é preciso reorganização abrangente das finanças públicas

Cenário fiscal brasileiro é positivo no curto prazo, e sobressai em comparação internacional. Essa constatação pode criar leniência e levar a mudanças apenas improvisadas e casuísticas do atual arcabouço, o que seria um erro, já que cenário de médio prazo não é tão reluzente.

Mercado de trabalho: momento macro é desanimador, mas há toda uma agenda micro

Mercado de trabalho pós-pandemia volta ao padrão debilitado de 2016-2019, e desemprego não deve voltar a casa de um dígito nem mesmo em 2026. Mas há boa notícia em termos de escolarização da força de trabalho e agendas relevantes de “políticas ativas” e “soft skills”.

Visões de política monetária: Banco Central tem ano extremamente complexo pela frente

Diante de quadro econômico extremamente complexo, agravado por guerra Rússia-Ucrânia, BC tem ano difícil pela frente. Diferentes perspectivas no Ibre, de José Júlio Senna, especialista em política monetária, e do pesquisador Bráulio Borges, apontam dimensão do desafio do BC.

A armadilha da criação de empregos de baixa qualidade e alta vulnerabilidade

Padrão pré-pandemia de expansão do trabalho mais vulnerável parece se reafirmar em 2021, comparando o 3º tri deste ano com o de 2019. Não se enxerga no horizonte, infelizmente, um cenário em que o mercado de trabalho passe a criar empregos de qualidade, bem pagos e seguros.

Páginas

Subscrever RSS - Luiz Guilherme Schymura