Daniel Duque

Daniel Duque é mestre em ciências econômicas na UFRJ e pesquisador do FGV IBRE, na área de Mercado de Trabalho.

Pobreza e desigualdade aumentam de novo: PNAD Covid mostrou impacto do Auxilio Emergencial nos indicadores sociais

A PNAD Covid-19 chegou a sua última edição, referente a novembro deste ano. Com ela, é possível avaliar como se comportaram os rendimentos da população ao longo da pandemia – que, infelizmente, está chegando à sua segunda onda no Brasil.

Mercado de trabalho no Brasil: situação atual e desafios para o futuro

Diante da escalada dos eventos nos últimos meses associados à pandemia do coronavírus, o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia brasileira tem se elevado de forma extraordinária e irá gerar grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho. Desse modo, faz-se necessário, mais do que nunca, a análise de pesquisas de alta frequência, de modo a ter estimativas mais precisas do impacto da crise ao longo dos últimos meses.

Mercado de trabalho no Brasil: Uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua.

Temos publicado mensalmente neste espaço artigos falando sobre os severos impactos da pandemia do coronavírus, que elevou de forma extraordinária a incerteza na economia, gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.

Evidências da subnotificação de desligamentos do Caged

A pandemia teve um grande impacto sobre o mercado de trabalho, mas também introduziu grandes dúvidas sobre a análise relacionada a este, principalmente no período de recuperação. Em relação ao Caged, por exemplo, para o qual empresas registram admissões e desligamentos de empregos com carteira assinada, o Gráfico abaixo mostra que, após acumular uma redução de quase 1,5 milhão de vagas com carteira assinada entre março e junho, o Caged registrou saldo positivo de mais de 150 mil em julho e agosto.

Qual foi o impacto da pandemia sobre a oferta de trabalho?

Como se sabe, em grande parte a oferta de trabalho no Brasil, seguindo padrões do resto do mundo, se reduziu fortemente devido aos efeitos diretos da pandemia. Isto é, as pessoas, com medo de se contaminarem com coronavírus, preferiram ficar em casa a continuar a trabalhar ou procurar uma nova ocupação. Como se vê pelo Gráfico abaixo, o impacto observado levou a Taxa de Participação ao seu nível mais baixo da série histórica da PNAD Contínua, mais de 5 pontos percentuais abaixo de seu media ao longo do período.

Mercado de trabalho no Brasil ainda continua muito fragilizado: Uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua

Temos publicado mensalmente neste espaço, artigos falando sobre os severos impactos da pandemia do coronavírus que elevou de forma extraordinária a incerteza na economia, gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.

Decomposição mostra que impacto da pandemia influenciou a renda média positivamente

Em meio a crises econômicas, com altas da taxa de desemprego, aumento do número de trabalhadores procurando qualquer ocupação, com qualquer rendimento, a renda média tende a sofrer forte queda. Como se vê pelo gráfico abaixo, de fato o volume de ocupações no Brasil experimentou grande redução, e está atualmente em seu menor nível em toda série histórica da PNAD Contínua.

Auxílio emergencial para de crescer em agosto, e pobreza cai de novo; com redução do benefício a partir de setembro, porém, pobreza e desigualdade devem aumentar

Os microdados de agosto da PNAD Covid-19 foram divulgados nessa quarta-feira (23/09), permitindo uma análise detalhada das tendências recentes dos rendimentos da população brasileira naquele mês. Uma das variáveis mais importantes presente na pesquisa é, justamente, o auxílio emergencial, que tem tido grande papel para o alívio na renda de parte significativa dos trabalhadores informais, desempregados desalentados no período.

Páginas

Subscrever RSS - Daniel Duque