Daniel Duque

Daniel Duque é mestre em ciências econômicas na UFRJ e pesquisador do FGV IBRE, na área de Mercado de Trabalho.

Auxílio emergencial para de crescer em agosto, e pobreza cai de novo; com redução do benefício a partir de setembro, porém, pobreza e desigualdade devem aumentar

Os microdados de agosto da PNAD Covid-19 foram divulgados nessa quarta-feira (23/09), permitindo uma análise detalhada das tendências recentes dos rendimentos da população brasileira naquele mês. Uma das variáveis mais importantes presente na pesquisa é, justamente, o auxílio emergencial, que tem tido grande papel para o alívio na renda de parte significativa dos trabalhadores informais, desempregados desalentados no período.

Por que a taxa de desemprego no Brasil não disparou mesmo com a pandemia do coronavírus? Uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua

Os eventos dos últimos meses associados à pandemia do coronavírus, elevou de forma extraordinária o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.

Pandemia do coronavírus fragiliza o mercado de trabalho brasileiro

Recentemente, publicamos neste mesmo espaço, um texto falando dos severos impactos da pandemia do coronavírus no mercado de trabalho brasileiro que tem elevado de forma extraordinária a incerteza na economia, gerando grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho.[1] Faremos neste texto uma atualização destes impactos tomando como referência a recente divulgação dos dados da Pnad Contínua, por parte do IBGE, que agregada os principais indicadores de mercado de trabalho

Queda do emprego no Brasil: uma análise a partir dos dados mensalizados da Pnad Contínua

Diante da escalada de eventos nos últimos meses associados à pandemia do coronavírus, o nível de incerteza em relação ao desempenho da economia brasileira tem se elevado de forma extraordinária e irá gerar grandes distorções no país, em especial no mercado de trabalho. Desse modo, faz-se necessário, mais do que nunca, a análise de pesquisas de alta frequência, de modo a ter estimativas mais precisas do impacto da crise ao longo dos últimos meses.

O que está acontecendo com a renda média na pandemia?

Em meio a crises econômicas, com altas da taxa de desemprego, aumento do número de trabalhadores procurando qualquer ocupação, com qualquer rendimento, a renda média tende a sofrer forte queda. No entanto, em meio à atual crise derivada da pandemia, o gráfico abaixo mostra que, ao contrário da crise de 2015-16, a média da renda habitual se elevou de forma abrupta, com a maior variação real interanual da série histórica, que começa em 2013. O que poderia, portanto, explicar tal paradoxal fenômeno?

Auxílio Emergencial faz pobreza cair em plena pandemia

Esse artigo estima os impactos do Auxílio Emergencial sobre a Pobreza usando os microdados da PNAD Covid.

O Auxílio Emergencial foi uma política de transferência de renda em grande volume para contrapor os efeitos da pandemia no mercado de trabalho. Proposta por iniciativa do Congresso em março de 2020, o programa garante R$ 600 por três meses para trabalhadores informais e desempregados, com o benefício chegando a R$ 1200 para mães solteiras.

Renda Básica: um desenho factível e uma proposta de Implementação

A Renda Básica da Cidadania (RBC) tem se apresentado como uma saída para o aumento da vulnerabilidade de grande da população devido às mudanças tecnológicas - solução que também se colocou para um cenário sócio econômico impactado pelos efeitos da pandemia. Assim, tem crescido a discussão sobre tal programa no cenário brasileiro - tendo em vista que, apesar de suas vantagens, independentemente do seu desenho, seria uma política relativamente cara para os padrões brasileiros.

Páginas

Subscrever RSS - Daniel Duque